• Asonet Ocupacional

Cinco dicas para as empresas na reabertura pós pandemia

Atualizado: Out 7

O Brasil e o mundo estão vivendo uma crise de saúde que impacta direta e severamente a economia. Para conter o avanço do vírus e reduzir a taxa de contágio muitas empresas tiveram que fechar as portas desde março. Essa medida foi muito importante para preservar vidas e para evitar o colapso do sistema de saúde. Apesar do vírus ainda ser um problema grave para a sociedade, a economia precisa ser retomada para garantir a preservação dos empregos e a sobrevivência das empresas. Para auxiliar os empreendedores que estavam de portas fechadas separamos cinco dicas para as empresas na reabertura pós pandemia.


Flexibilização e retomada das atividades econômicas


O Governo do Estado de São Paulo anunciou no final de maio um plano de reabertura gradual da economia. A estratégia respeita os indicadores em relação ao avanço da doença em cada região. A flexibilização deve levar em conta cinco fases que são marcadas por cores e definidas de acordo com a taxa de contágio e quantidade de leitos disponíveis. A medida que uma região aumenta ou diminui sua taxa de contaminados ela pode avançar ou retroceder dentro do plano. A fase são:

  1. Vermelha: alerta máximo – fase de contaminação crescente.

  2. Laranja: atenção – fase de controle e abertura de alguns setores.

  3. Amarela: flexibilização – fase de liberação de mais atividades.

  4. Verde: abertura parcial – fase com menos restrições e taxa de contágio decrescente.

  5. Azul: normalização: fase de liberação de todas as atividades, doença controlada.

Nesse momento, é difícil saber quanto tempo iremos passar em cada fase. Principalmente por que a testagem de grande parte das pessoas é um passo muito importante para conhecermos os riscos e se estamos em fase de contaminação crescente ou decrescente. O que sabemos é que a região da Grande São Paulo, cidade de São Paulo e algumas regiões do interior estão entrando na fase laranja. O que significa que muitas empresas que estavam paradas irão voltar a operação nos próximos dias.


Durante uma entrevista ao jornal The New York Times, Preeti Malani, especialista em doenças infecciosas afirmou que é muito difícil estruturar um plano único, que seja viável para todas as empresas nesse momento. Até porque cada setor e negócio possui particularidades que devem ser levadas em consideração no momento da reabertura. De fato não existe um manual. Mas, mesmo assim, tem cinco atitudes que toda empresa deve tomar nesse momento. Por isso separamos as principais dicas para as empresas na reabertura pós pandemia


Dicas para as empresas na reabertura pós pandemia


Distanciamento social

O distanciamento social ainda é a melhor maneira de evitar o contágio e mitigar o avanço da doença dentro da empresa. Portanto, nesse momento, você deve repensar a distribuição do espaço de trabalho para que os colaboradores consigam se manter a cerca de 1 metro e meio de distância um do outro. Isso inclui mudar a disposição das mesas do escritório e quem sabe até repensar a distribuição das máquinas e equipamentos na sua linha de produção. Salas de reunião devem ser evitadas por grandes grupos. Reduzir o tempo das reuniões e também é importante assim como adicionar o protocolo de higienizar as mãos com frequência. Lembre-se que preservar a saúde e a vida dos funcionários é a coisa mais importante nesse momento.


Se toda a sua equipe, ou boa parte dela, se infectar na mesma semana essas pessoas precisaram se ausentar do trabalho por 14 dias, e isso também gera despesas e custos financeiros para a empresa. Caso o seu negócio funcione à distância recomendamos que mantenha os colaboradores em home-office. Ou então, que a equipe se desloque para o escritório apenas alguns dias por semana.


Equipamentos de proteção individual – EPI

Esse é um assunto recorrente para quem acompanha o Blog da Asonet. Afinal EPIs sempre foram parte indispensável da medicina do trabalho. Nesse momento, a lista de EPIs aumentou. O uso de máscaras é fundamental para reduzir a probabilidade de contágio. A Organização Mundial de Saúde (OMS) e também o Ministério da Saúde colocam essa medida como uma das mais importantes para retomada das atividades. O álcool em gel para higiene das mãos, sabão, pia e água correntes, lixeiras fechadas para descartar itens possivelmente contaminados também fazem parte dos EPIs.


Higiene dos ambientes

De acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos o vírus se espalha com facilidade de pessoa para pessoa, mas ele também sobrevive em algumas superfícies e objetos. Portanto, recomenda-se a limpeza frequente de objetos. Principalmente aqueles em que as pessoas tocam com frequência. Como: maçanetas, mesas, interruptores, teclados, mouse, torneiras, telefones, bancadas, etc. As copas e refeitórios são áreas que merecem atenção. Antes da pandemia era muito comum os funcionários fazerem pausas e até reuniões informais na área do café. Esse é um hábito que será difícil de ser extinto, portanto, as empresas precisam investir em sistemas de higienização eficientes e constantes.


Testagem dos funcionários

A testagem não é algo obrigatório para as empresas que estão reabrindo, mas ela é uma ferramenta poderosa para identificar os colaboradores que já possuem anticorpos contra a doença e também aqueles que são vetores para contaminação de outras pessoas. Se a sua empresa está retomando as atividades nossa dica de ouro é: faça testagem dos funcionários! Procure manter um controle sobre quantas pessoas da sua equipe foram infectadas ou estão expostas ao risco. Nos dias que antecedem a reabertura você pode testar toda equipe, fazer testagem em todos os colaboradores que apresentarem sintomas e fazer novas checagem periodicamente.


Gestão de saúde e afastamentos – Dicas para as empresas

Mesmo se você seguir adotar as dicas para as empresas na reabertura pós pandemia é possível que alguns de seus funcionários seja infectado pelo vírus e tenham que se afastar das atividades. Por isso recomendamos que você tenha uma plano de gestão de saúde ocupacional e que a medicina do trabalho torne-se uma prioridade neste momento. Quando um funcionário estiver apresentando os sintomas é importante testar e afastá-lo do restante da equipe. A gestão de afastamento pode se tornar bastante complexa, ainda mais nesse novo momento que estamos vivendo. Por isso, se precaver e contratar uma consultoria especializada pode te ajudar muito a manter seu negócio funcionando.

Se você deseja seguir as dicas acima, mas se sente perdido em relação a como fazer, por onde começar ou mesmo não sabe quanto investimento deve ser feito nessa etapa, entre em contato com a Asonet. Ficaremos felizes em ajudá-lo!


Este artigo foi escrito por Juliana Colognesi

Siga-nos nas redes sociais

  • Facebook ícone social
  • Instagram
  • LinkedIn ícone social

©2020 - Por Asonet Ocupacional