• Asonet Ocupacional

Saúde à distancia: telemedicina deve ganhar força em 2021

Atualizado: Jan 26


A telemedicina ganhou visibilidade em 2020 devido à pandemia imposta pelo Coronavírus. Este modelo de atendimento reduz o deslocamento dos pacientes e evita as aglomerações em clínicas e consultórios.

Os benefícios do atendimento médico virtual, porém, são mais significativos do que garantir o isolamento. Tanto que esta modalidade já vinha ganhando espaço antes da pandemia e deverá se manter em alta após o fim da doença. E isso inclui também a área de saúde ocupacional.


Confira quais as perspectivas para a telemedicina em 2021 e conheça mais detalhes e benefícios deste modelo de atendimento médico.


Como funciona a telemedicina

A telemedicina nada mais é do que o modelo de atendimento médico que pode ser realizado à distância, utilizando diferentes meios de contato entre o médico e o paciente. Ela pode ser utilizada tanto para a realização de consultas quanto para o monitoramento, interpretação de laudos e até a prescrição de receitas médicas.


A telemedicina se utiliza de tecnologias acessíveis atualmente à maioria das pessoas para proporcionar o acesso entre médico e paciente. O atendimento pode ser feito por videochamada, pelo celular ou computador, em aplicativos como o Skype ou plataformas próprias para a consulta.


O que diz a legislação

No Brasil, a telemedicina ainda não tem uma legislação clara, que estimule o seu desenvolvimento. Isso não quer dizer que o assunto não venha recebendo a atenção de autoridades e de entidades médicas. O primeiro regramento da telemedicina no Brasil ocorreu em 2002, por meio da resolução número 1643 do Conselho Federal de Medicina (CFM). O documento, porém, é considerado insuficiente para garantir segurança jurídica para que os médicos exerçam efetivamente a telemedicina.


Em 2020, já durante a pandemia, que a telemedicina foi efetivamente autorizada no Brasil, por meio da lei número 13.989/20, sancionada em abril pelo presidente Jair Bolsonaro. A nova legislação, porém, impõe limites à atuação dos médicos na telemedicina. O principal deles é justamente o prazo para sua vigência, limitado ao período em que se entender a crise sanitária decorrente do Coronavírus.


O texto permite a prática da telemedicina para atividades de prevenção de doenças e de lesões, assistência, pesquisa e promoção de saúde. Também determina que o médico é obrigado a informar ao paciente sobre as eventuais limitações de um atendimento efetuado sem a realização de um exame físico presencial.


O atendimento não presencial deve acontecer a partir de instrumento tecnológico que garanta a segurança e o sigilo do paciente. Todas as consultas médicas precisam ser registradas no prontuário clínico. A prescrição de receitas e a emissão de atestados aos pacientes devem ser validados por meio da assinatura eletrônica do médico.


Outro ponto importante da lei 13.989/20 é a manutenção da regulamentação da telemedicina no país após a pandemia como tarefa exclusiva do CFM. A autarquia, inclusive, já trabalha em uma nova regulamentação para a prática. Uma comissão especial criada para atualizar a resolução 1.643/02 já analisou cerca de 2 mil sugestões de médicos e profissionais da área da saúde sobre a prática da telemedicina.


Quais os benefícios da telemedicina

Embora o Brasil esteja ainda na etapa de regulamentação da telemedicina, este modelo de atendimento já é consolidado em outros países. Estados Unidos, Itália e China, por exemplo, já o utilizam há algumas décadas.


Mas foi a partir dos anos 1990, com a popularização da internet e evolução dos canais de comunicação à distância, que a telemedicina ganhou força, garantindo diversos benefícios para a prática médica. Confira alguns deles.


Redução de custos

Os serviços de saúde invariavelmente dependem de importantes investimentos, seja por parte do setor público, de empresas privadas ou dos próprios pacientes. E isto termina se configurando em uma barreira que compromete o acesso de boa parte da população ao atendimento médico.


A telemedicina permite uma redução considerável no investimento necessário para prestar este atendimento. Uma consulta à distância necessita de uma estrutura menor no consultório, equipe de apoio reduzida e menor investimento em equipamentos, entre outros. Além disso, a capacidade de atendimento dos profissionais aumenta, garantindo maior produtividade, sem perda de qualidade do serviço.


Facilidade de acesso ao sistema de saúde

A redução dos custos é apenas um dos aspectos da telemedicina que se reflete na facilitação do acesso dos pacientes aos serviços médicos. O atendimento à distância pode aproximar médicos e pacientes que se encontram geograficamente distantes e ampliar as possibilidades de assistência em saúde.


É comum que moradores de comunidades com oferta reduzida de especialistas tenham que realizar longos deslocamentos para consultar em outras cidades. Com a telemedicina, basta o acesso à internet para que parte dos procedimentos possam ser realizados.


O atendimento à distância também pode facilitar o atendimento de pacientes com dificuldades de locomoção, como no caso de idosos ou deficientes físicos, que muitas vezes dependem da ajuda de terceiros ou de uma estrutura específica para se deslocarem até o consultório.


Facilita o compartilhamento de informações

A telemedicina tem um efeito prático positivo no compartilhamento e troca de informações. Quando um paciente busca uma segunda opinião médica, por exemplo, o acesso a outros profissionais de uma determinada especialidade é facilitado.


O compartilhamento de informações também ocorre quando o próprio médico deseja consultar colegas em busca de outras impressões quanto a um caso específico. Essa troca pode ser feita em tempo real, agilizando a tomada de decisões.


Auxilia no isolamento social

Em tempos de quarentena, a telemedicina tem um papel especial ao reduzir a circulação de pacientes, especialmente em ambientes de maior risco de disseminação da Covid-19, como consultórios médicos, clínicas e hospitais.


Consultas eletivas ou referentes a patologias não relacionadas com o Coronavírus, por exemplo, podem receber orientação e atendimento de seu médico por meio da teleconsulta, preservando o seu isolamento e evitando o risco de contágio.


Melhoria na saúde mental

Especialistas da área apontam que, na maior parte dos casos de consultas médicas que envolvam a saúde mental, o exame clínico presencial não é necessário. Os atendimentos realizados por meio de terapia e da gestão de tratamento medicamentoso podem ser facilmente adequados ao teleatendimento, sem nenhum prejuízo ao paciente.


Com o tratamento por meio da telemedicina o paciente pode receber exatamente a mesma atenção do seu médico sem a necessidade do deslocamento e da perda de tempo para o atendimento físico.


Agilidade em laudos e resultados

Não é apenas no momento da consulta que a telemedicina garante ganhos no atendimento médico. De forma remota é possível ganhar agilidade na emissão e na entrega de resultados de grande parte dos exame.


A telemedicina reduz a necessidade de o paciente se deslocar até uma clínica ou laboratório específico a cada exame na hora de buscar os resultados. Além de acelerar a entrega dos laudos, a telemedicina também aumenta a capacidade dos laboratórios e dos especialistas no processo de análise. Também garante maior segurança e menor custo no armazenamento dos laudos.


Telemedicina na saúde ocupacional

Com a perspectiva da regulamentação definitiva e maior desenvolvimento da telemedicina no Brasil, diferentes áreas médicas poderão se beneficiar deste modelo de atendimento. É o caso da saúde ocupacional.


O atendimento médico remoto pode se tornar uma importante ferramenta para que as organizações mantenham em dia suas obrigações no que se refere aos cuidados com a saúde de sua força de trabalho e ainda reduzam os riscos de queda de produtividade devido à problemas médicos.


Com a telemedicina é possível, por exemplo:

· Reduzir as ausências (absenteísmo) e o tempo de afastamento dos colaboradores para consultas presenciais.

· Reduzir prazos para emissão de laudos e resultados de exames.

· Garantir assistência médica remota mesmo em unidades instaladas em locais de difícil acesso, sem necessidade de investimentos em estruturas de atendimento.


Conheça o Alô, Doutor

Prevenir e tratar os problemas de saúde que possa afetar o desempenho dos colaboradores é uma das missões da área de saúde ocupacional de uma empresa. E os clientes da Asonet Ocupacional podem oferecer aos seus colaboradores este suporte de forma remota.


Por meio da plataforma Alô, Doutor, os funcionários podem receber suporte médico à distância, sem custo e com absoluto respeito à sua privacidade.


Vantagens para a empresa

Ao contratar o serviço da plataforma Alô, Doutor, a empresa passa a contar com uma ferramenta moderna para auxiliar em seus processos de gestão da saúde, garantindo vantagens como:

  • Ampliação do pacote de benefícios oferecidos aos seus colaboradores.

  • Prevenção e redução das ausências por motivos médicos.

  • Redução do número de consultas e procedimentos realizados por meio do plano de saúde empresarial.

  • Redução da sinistralidade do plano de saúde, evitando a majoração de custos na renovação.


Vantagens para os colaboradores

Para os colaboradores, contar com o Alô, Doutor é uma forma de garantir um canal remoto de assistência médica, acessível por qualquer dispositivo conectado à internet, como um smartphone, por exemplo.


Pela facilidade de acesso e por ser gratuita, a plataforma Alô, Doutor estimula os colaboradores a buscarem a assistência médica. Isso contribui para a melhoria da qualidade de sua saúde e, consequentemente, da sua produtividade no trabalho. Além do papel de orientação em saúde, a plataforma Alô, Doutor oferece aos colaboradores uma segunda opinião médica quando necessário, e também atendimento psicológico.


Assim como ocorre com todas as áreas da medicina, a saúde ocupacional tem nas novas tecnologias uma forma de constante desenvolvimento. E o atendimento à distância é uma das novidades que devem se consolidar ao longo deste ano.


A regulamentação e adoção de forma mais definitiva da telemedicina em 2021 poderá ser uma das heranças positivas da pandemia do Coronavírus. Isto inclui a saúde ocupacional, e Asonet Ocupacional já está acompanhando essa tendência ao oferecer o Alô, Doutor aos seus clientes.


Aproveite e entre em contato agora com um de nossos consultores e saiba mais detalhes sobre este benefício.



37 visualizações0 comentário