top of page

Prevenção do esgotamento profissional (burnout): Estratégias para prevenir e lidar com ele no ambiente de trabalho


Funcionário exausto no trabalho, indicando sinais de burnout, uma síndrome causada por estresse crônico no ambiente profissional.
Esgotamento no trabalho?
Você já se sentiu esgotado, desmotivado e sobrecarregado no trabalho? Esses podem ser sinais de que você está enfrentando o que é conhecido como "burnout". De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 30% dos brasileiros já foram afetados por essa síndrome, e o Brasil é o segundo país com mais casos diagnosticados. Globalmente, estima-se que 264 milhões de pessoas sejam impactadas por esse distúrbio psíquico.

O que é a Síndrome de Burnout?


Também conhecida como síndrome do esgotamento profissional, a síndrome de burnout é uma resposta ao estresse crônico causado pelo ambiente de trabalho. Ela se manifesta através da exaustão física e mental intensa, levando o profissional a um declínio significativo em suas atividades.


É importante ressaltar que o burnout não é apenas resultado de uma rotina difícil de trabalho, mas sim um estresse crônico e gradual que se desenvolve após um longo período de condições insalubres de trabalho.


Sinais e sintomas


Os sinais e sintomas de burnout podem variar de pessoa para pessoa, mas geralmente incluem fadiga persistente, dificuldade de concentração, irritabilidade, insônia, sentimentos de desesperança e baixa autoestima. Outros sintomas comuns incluem dores de cabeça, dores musculares, problemas gastrointestinais e resfriados frequentes.


Fatores de risco


Vários fatores podem aumentar o risco de desenvolver burnout, incluindo excesso de trabalho, falta de controle sobre o trabalho, ambiente de trabalho tóxico, falta de apoio social, conflito entre trabalho e vida pessoal, e falta de reconhecimento ou recompensa pelo trabalho realizado.

Os gestores desempenham um papel crucial na identificação e prevenção da Síndrome de Burnout entre os membros de suas equipes. Alguns sinais que os gestores podem observar incluem uma queda significativa no desempenho do trabalho, aumento do número de faltas ou atrasos, mudanças de comportamento, como irritabilidade ou isolamento, e relatos frequentes de estresse e exaustão. Além disso, os gestores devem estar atentos a sinais físicos, como dores de cabeça frequentes, problemas gastrointestinais e insônia, que podem indicar que um funcionário está enfrentando dificuldades. Identificar esses sinais precocemente pode permitir que os gestores intervenham e ofereçam o suporte necessário para ajudar o funcionário a lidar com o burnout antes que ele se torne mais grave.


Estratégias de prevenção


Prevenir o burnout envolve adotar medidas proativas para gerenciar o estresse e promover o bem-estar no trabalho. Algumas estratégias eficazes incluem estabelecer limites saudáveis entre trabalho e vida pessoal, aprender a dizer não a demandas excessivas, delegar tarefas sempre que possível, praticar técnicas de gerenciamento de estresse, manter uma rede de apoio social e buscar ajuda profissional, quando necessário.


Como prevenir o esgotamento profissional?


  • Faça atividades que "fujam" à rotina diária, como passear, comer em restaurante ou ir ao cinema;


  • Evite o contato com pessoas "negativas", especialmente aquelas que reclamam do trabalho ou dos outros;


  • Converse com alguém de confiança sobre o que está sentindo;


  • Faça atividades físicas regulares.


Quais são as melhores estratégias para reduzir o burnout?


  • Faça um diagnóstico e levante informações: O primeiro cuidado é realizar pesquisas com os colaboradores para avaliar os efeitos do trabalho sobre eles. Existem diferentes metodologias que podem ajudar as empresas a traçarem um diagnóstico e obter informações para agir.

  • Promova um bom clima organizacional: Os questionários de clima organizacional também podem contribuir para identificar problemas de saúde mental no trabalho. 


Entre outros, os seguintes tópicos podem ser abordados:


  • Quantidade e complexidade das tarefas;

  • Horas de trabalho;

  • Energia e disposição durante a jornada;

  • Distância de casa para o trabalho;

  • Relações interpessoais;

  • Nível de cobrança;

  • Relacionamento com o líder.


Tenha programas de gestão de saúde


Uma medida interessante são os programas de gestão da saúde. Os riscos ergonômicos são o principal alvo das medidas preventivas do burnout, que serão conduzidas dentro das empresas por profissionais da saúde e medicina do trabalho.


Esses riscos são previstos na Portaria nº25/1994 do Ministério do Trabalho:


  • Esforço físico intenso;

  • Levantamento e transporte manual de peso;

  • Exigência de postura inadequada;

  • Controle rígido de produtividade;

  • Imposição de ritmos excessivos;

  • Trabalho em turno e noturno;

  • Jornadas de trabalho prolongadas;

  • Monotonia e repetitividade;


Promova a flexibilidade e equilíbrio entre vida pessoal e profissional


Um dos pontos mais importantes é haver equilíbrio em relação à energia e ao tempo consumido pelo trabalho. Por isso, medidas de flexibilização podem ser um bom caminho para reduzir a Síndrome de Burnout na organização.


Incentive o bom relacionamento entre os colaboradores.


Muitas vezes, o estresse pode não estar associado às regras ou carga de trabalho fixadas pela empresa, mas aos comportamentos do grupo. É importante incentivar boas relações entre líderes e liderados, assim como entre os membros das equipes.

A Síndrome de Burnout é uma realidade presente em muitos ambientes de trabalho hoje em dia, afetando a saúde e o bem-estar de milhões de profissionais em todo o mundo. Reconhecer os sinais e sintomas do burnout, tanto em si mesmo quanto nos outros, é o primeiro passo para prevenir e lidar com essa condição. Estratégias como estabelecer limites saudáveis entre trabalho e vida pessoal, praticar técnicas de gerenciamento de estresse e buscar ajuda profissional quando necessário são fundamentais para promover um ambiente de trabalho saudável e equilibrado. Além disso, os gestores desempenham um papel crucial na identificação e prevenção da Síndrome de Burnout entre os membros de suas equipes, sendo importante estarem atentos aos sinais de que um funcionário pode estar enfrentando dificuldades. Com a implementação de medidas preventivas e o apoio adequado, é possível reduzir o impacto do burnout e promover o bem-estar e a qualidade de vida no ambiente de trabalho.


Se você está buscando formas de implantar na sua empresa programas que ajudem os seus colaboradores a não sofrer com a Síndrome de Burnout, a Asonet Ocupacional pode te ajudar. Dispomos do Programa "Olá, Doutor", um serviço de suporte remoto à saúde, que visa ajudar o trabalhador nos momentos difíceis que afetam o desempenho no trabalho. Oferecemos serviços de orientação à saúde, acompanhamento de casos e segunda opinião médica, realizados dentro da mais absoluta privacidade. Entre em contato conosco e saiba mais sobre como podemos ajudar a sua empresa a promover o bem-estar dos seus colaboradores e prevenir o esgotamento profissional. Sua equipe merece trabalhar em um ambiente saudável e equilibrado.





O que é Síndrome de Burnout?

A Síndrome de Burnout, também conhecida como síndrome do esgotamento profissional, é um distúrbio psíquico causado pela exaustão extrema resultante do estresse crônico no ambiente de trabalho. Ela se manifesta através da exaustão física e mental intensa, levando o profissional a um declínio significativo em suas atividades.


Quais são os sintomas de Burnout?

Quais são os fatores de risco para desenvolver Burnout?

Como os gestores podem identificar que um funcionário pode estar sofrendo com a Síndrome de Burnout?

Quais são as melhores estratégias para prevenir e lidar com a Síndrome de Burnout no ambiente de trabalho?



4 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page