• lisianegdias

Saúde mental do trabalhador: um assunto sempre em pauta nas organizações


Para que uma empresa possa ser realmente competitiva e atingir seus objetivos, é imprescindível estar constantemente atenta à saúde mental dos trabalhadores, proporcionando um ambiente de trabalho saudável, um clima organizacional equilibrado e com cuidados voltados ao bem-estar e à produtividade.

Cada vez mais, esta tem sido uma preocupação do mundo corporativo, uma vez que empresários, gestores e áreas de gestão de pessoas já começaram a entender que cuidar da saúde mental dos colaboradores, além de ser um compromisso com uma gestão humanizada, apresenta também reflexos diretos nos resultados das corporações.


É importante que a saúde mental esteja permanentemente na pauta das organizações e que as áreas responsáveis disponham de ferramentais para identificar quando algo não vai bem.


Como identificar

Alguns sinais de que a saúde mental dos colaboradores possa estar comprometida ou começando a se fragilizar:

• Maior incidência de atrasos e faltas

• Oscilações de humor

• Queda na produtividade

• Dificuldade de relacionamento no ambiente de trabalho

• Introversão repentina e isolamento

Diante de situações em que alguns desses sinais sejam identificados, é importante que o colaborador seja acolhido pela empresa, e que o empregador possa-lhe oferecer o apoio e as saídas possíveis para ele enfrentar o problema.

E mais, a empresa precisa estar ciente de que existem alguns fatores de risco na organização do trabalho que, se contornados, podem evitar que colaboradores adoeçam com o tempo. Entre os principais estão:

• Cobranças excessivas

• Sobrecarga

• Despreparo das lideranças

• Ambiente de trabalho precário

• Acúmulo de funções

• Falta de reconhecimento

• Exigências contraditórias

• Falta de clareza quanto ao seu papel

• Comunicação deficiente

• Metas inatingíveis

Um ambiente saudável

Além de resolver problemas pontuais na gestão como os citados acima, existe uma série de ações, programas e políticas que visam cuidar de perto da saúde, bem-estar e qualidade de vida das pessoas no ambiente laboral. Algumas delas:


1. Invista no preparo das lideranças: treinamentos, programas de aperfeiçoamento de competências de liderança e feedback certamente vão proporcionar aos gestores da empresa maior qualificação de gerir equipes. Isto é fundamental tanto para a saúde dos funcionários quanto para o alcance de resultados da organização.


2. Desenvolva programas de reconhecimento: reconhecer esforços individuais e coletivos além de motivar as pessoas, cria o senso de pertencimento e promove o engajamento, fatores que contribuem diretamente para o clima e o ambiente saudável.


3 – Tenha canais de escuta sempre disponíveis: ouvir o colaborador e poder entender como ele percebe o ambiente de trabalho e como anda a sua saúde mental é um grande aliado da gestão.


4. Invista na comunicação interna: uma comunicação pouco fluída ou inexistente e a falta de compartilhamento de informações importantes para o desempenho das atividades podem gerar dificuldades, incertezas, falta de clareza do papel, frustração e até a não-compreensão da cultura e da identidade da organização.

5 - Tenha uma boa política de saúde e segurança do trabalho: organizações que não investem nesta área apresentam perdas constantes, como absenteísmo, baixa retenção, acidentes de trabalho e baixa produtividade.

6. Ofereça suporte de serviços de saúde: disponibilizar atendimento de profissionais de saúde e de saúde mental (como psicólogos, assistentes sociais, etc) é a melhor forma de cuidar dos seus colaboradores.


Cenário em números

Ainda que as empresas estejam cada vez mais atentas à questão da saúde mental, no Brasil, há ainda um longo caminho a ser percorrido no mundo corporativo. De acordo com a Rede Brasil do Pacto Global da Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 18% das empresas do país dedicam-se efetivamente aos cuidados com a saúde mental de seus colaboradores.


Outro dado também chama a atenção. Segundo o INSS, hoje, os transtornos mentais são a terceira maior causa de afastamentos do trabalho (em 2017 eram a quinta maior causa). Entre eles, o de maior incidência é a depressão. Além deste, transtornos como síndrome de burnout, crises de ansiedade e de pânico e quadros agudos de estresse estão entre as causas apontadas.


Prevenção e acompanhamento

O cuidado com a saúde mental dos colaboradores e a prevenção ainda são as melhores alternativas para as empresas. Clientes da Asonet Ocupacional contam com uma opção de atendimento de apoio emocional para minimizar os riscos ocasionados por fobias, medos e ansiedade. Por meio do Olá, Doutor, plataforma de telemedicina da Asonet, é possível oferecer apoio psicológico aos colaboradores da sua empresa.


Além de zelar pela integridade da sua força de trabalho, as empresas que contam com os serviços do Olá Doutor registram menos custos, com o menor número de consultas e exames realizados por meio do plano de saúde empresarial.


Entre em contato com nossos consultores e saiba mais sobre o Olá, Doutor e sobre outras formas de desenvolver ações em prol da saúde e bem-estar dos seus colaboradores.

17 visualizações0 comentário