top of page

Riscos de Trabalhos em Espaços Confinados: Normas e Medidas de Segurança


Trabalhador utilizando Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) em um espaço confinado, seguindo medidas de segurança para prevenir riscos ocupacionais.
Segurança em espaços confinados

Os riscos ocupacionais são uma realidade em diversos ambientes de trabalho e, quando se trata de espaços confinados, esses riscos se potencializam. A exposição a condições não saudáveis pode desencadear uma série de problemas de saúde física e mental nos colaboradores. Para garantir a segurança da sua equipe e estar em conformidade com as normativas de desempenho, é essencial compreender os riscos associados ao trabalho em espaços confinados e as medidas necessárias para proteger os profissionais.

O que é Espaço Confinado?


Antes de tudo, é fundamental compreender o que caracteriza um espaço confinado. Trata-se de qualquer local não projetado para a permanência prolongada de pessoas, com restrições relacionadas à mobilidade, ventilação e entrada e saída.


Características dos espaços confinados


  • Pouca concentração de gás oxigênio;

  • Alta concentração de gases tóxicos como sulfeto de hidrogênio, monóxido de carbono e metano;

  • Ventilação natural precária;

  • Escassa mobilidade, com poucas vias de escape.

  • Reservatórios, silos, tubulações, instalações de saneamento e tanques de combustível são exemplos comuns de espaços confinados. 


Todos esses ambientes apresentam uma série de riscos para os profissionais que atuam diariamente neles.


Riscos no Trabalho em Espaços Confinados


A Norma Regulamentadora NR 33 estabelece as diretrizes para o trabalho em espaços confinados. De acordo com a NR 33, um espaço confinado é caracterizado por não ser projetado para o tráfego de pessoas, ter acesso difícil e falta de ventilação para remover gases contaminantes ou ausência de oxigênio.


Os riscos no trabalho em espaços confinados são potencializados pela configuração desses ambientes, que dificultam a movimentação e o trabalho no seu interior. Além disso, a ventilação natural deficiente, as aberturas restritas e a presença de gases tóxicos aumentam significativamente os riscos para os trabalhadores.


A NR 33 alerta para a necessidade de avaliação e controle dos riscos físicos, químicos, biológicos, ergonômicos e mecânicos nos espaços confinados.


Riscos Físicos:


  • Ruído;

  • Calor;

  • Radiações não ionizantes;

  • Umidade.


Riscos Químicos:


  • Presença de contaminantes;

  • Deficiência de oxigênio (O2).

  • Riscos Biológicos:

  • Proliferação de micro-organismos;

  • Presença de animais como ratos, morcegos e insetos.


Riscos Ergonômicos:


  • Dificuldade de acesso e movimentação;

  • Iluminação deficiente;

  • Esforços excessivos e posturas desconfortáveis.


Riscos Mecânicos:


  • Trabalho em altura;

  • Instalações elétricas inadequadas;

  • Contato com superfícies aquecidas;

  • Maquinário sem proteção;

  • Quedas, choques elétricos, queimaduras e outros.


Trabalhar em espaços confinados apresenta uma série de riscos para os profissionais, desde problemas físicos até situações de emergência que podem colocar suas vidas em perigo. Por isso, é crucial seguir as diretrizes estabelecidas pela NR 33 e adotar medidas de proteção adequadas. A avaliação e controle dos riscos físicos, químicos, biológicos, ergonômicos e mecânicos são essenciais para garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores. Ao implementar as medidas de segurança necessárias, as empresas não apenas cumprem com suas obrigações legais, mas também protegem seus colaboradores de acidentes e danos à saúde.


Medidas de Proteção


Antes de iniciar o trabalho em espaços confinados, é fundamental adotar uma série de medidas de proteção para garantir a segurança dos trabalhadores.


Permissão de Entrada e Trabalho (PET):


A NR 33 exige a emissão de uma Permissão de Entrada e Trabalho para a realização de trabalhos em espaços confinados. Esse documento estabelece as medidas administrativas e de segurança necessárias para o trabalho.


Responsabilidade Técnica e Autorização de Entrada:


A presença de um profissional qualificado em segurança do trabalho é indispensável para evitar acidentes em espaços confinados. Esse profissional é responsável por verificar se os equipamentos estão em perfeito estado, fiscalizar o acesso ao local e garantir que somente pessoas autorizadas e preparadas entrem no ambiente de trabalho.


Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e Coletivos (EPCs):


O fornecimento e uso adequado de EPIs e EPCs são essenciais para a segurança dos trabalhadores em espaços confinados. Alguns dos equipamentos necessários incluem: capacetes, cintos de segurança, luvas, botas, respiradores, detectores de gás, iluminação adequada, entre outros. É fundamental que os trabalhadores sejam devidamente treinados para utilizar esses equipamentos e saibam como agir em situações de emergência.


Garantir a segurança dos trabalhadores em espaços confinados é uma prioridade e exige a adoção de medidas rigorosas de proteção. A emissão da Permissão de Entrada e Trabalho (PET), a presença de um profissional qualificado em segurança do trabalho e o fornecimento e uso adequado de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e Coletivos (EPCs) são fundamentais para prevenir acidentes e proteger a saúde dos colaboradores. Ao seguir as diretrizes estabelecidas pela NR 33 e adotar as medidas de proteção adequadas, as empresas demonstram seu compromisso com a segurança e o bem-estar de seus trabalhadores.


A Asonet Ocupacional entende que, trabalhar em espaços confinados apresenta uma série de riscos para os trabalhadores, mas é possível garantir a segurança da equipe adotando as medidas adequadas. A Asonet oferece soluções completas para garantir a segurança dos profissionais que trabalham em espaços confinados. Entre em contato conosco e conheça nossos planos. Podemos ajudar a proteger a sua equipe e estar em conformidade com as normativas de segurança do trabalho.





Quais são os principais riscos de trabalhar em espaços confinados?

Os principais riscos incluem a baixa concentração de oxigênio, a presença de gases tóxicos, a falta de ventilação adequada, a dificuldade de acesso e saída, além de diversos outros perigos, como riscos físicos, químicos, biológicos, ergonômicos e mecânicos.


Quais são as medidas de proteção necessárias para trabalhar em espaços confinados?

Quais são os EPIs mais comuns utilizados em trabalhos em espaços confinados?

Por que é importante seguir as normas regulamentadoras ao trabalhar em espaços confinados?

Quais são as consequências de não seguir as normas de segurança ao trabalhar em espaços confinados?



39 visualizações0 comentário

コメント


bottom of page