• Asonet Ocupacional

Os benefícios da gestão de afastados em sua empresa


O afastamento de colaboradores por doença ou acidente de trabalho pode ser uma considerável fonte de dor de cabeça para os gestores. Além da perda de produtividade e de competitividade com o desfalque na equipe, a empresa está sujeita a custos financeiros com a ausência.


Por isso, a gestão de afastados, mais do que uma medida preventiva que demostra o zelo do empregador com a saúde de seus colaboradores, é uma forma de proteger a empresa dos prejuízos que o afastamento pode ocasionar.


Confira neste post os riscos dos afastamentos para a sua empresa e como a gestão de afastados pode minimizá-los.


Perda de produtividade e custos para o empregador

O primeiro dano que o afastamento de um colaborador por doença ou acidente de trabalho pode ocasionar à empresa está na produtividade. Um funcionário a menos em ação representa perda de produtividade não só dele, mas também do restante da equipe que ficará sobrecarregada ao assumir as tarefas do colega ausente.


Caso o afastamento se estenda por um período maior, pode ser necessário contratar um substituto para ocupar aquela posição descoberta, o que ocasionará um custo a mais. Por mais ágil que seja a seleção deste novo profissional, este processo leva algum tempo e muito provavelmente o substituto não terá o mesmo desempenho e produtividade do colaborador afastado de imediato.


O afastamento por doença ou acidente de trabalho não isenta a empresa de suas obrigações com o colaborador. O salário, por exemplo, deve ser pago integralmente pelo empregador pelo menos nos primeiros 15 dias de ausência.


Após este período, o funcionário afastado passa a receber o seguro-doença pago pelo Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS). A concessão do benefício precisa ser autorizada por meio de perícia médica e não representa rompimento de vínculo da empresa com o colaborador.


Assim, embora fique desobrigado de pagar a remuneração, o empregador seguirá com os custos referentes aos demais benefícios concedidos ao empregado, como o plano de saúde e seguro de vida, por exemplo.


A empresa ainda está sujeita a ser interpelada judicialmente, dependendo da situação em que ocorreu o afastamento, caso o colaborador se sinta prejudicado ou desassistido.


Como a gestão de afastados pode auxiliar

A gestão de afastados pode minimizar riscos e prejuízos dos afastamentos por doenças ou acidentes laborais. O adequado acompanhamento dos colaboradores ausentes é importante para que a empresa conduza de forma ágil e eficaz os procedimentos junto ao INSS visando a concessão dos benefícios e para prevenir processos judiciais.


Identificar causas e efeitos das doenças e afastamentos com origem na atividade laboral também é um benefício do trabalho de gestão de afastados. De posse deste diagnóstico, é possível promover ações preventivas, melhorando a qualidade de vida dos colaboradores, bem como a sua produtividade.


Se a sua empresa ainda não tem processos eficientes de gestão de afastados, entre em contato com nossos consultores e informe-se sobre como podemos ajudar a proteger sua empresa.

25 visualizações0 comentário